-
-

APOIADORES: ----- CONGREGAÇÃO FRANCISCANAS DE SIESSEN -------- MARCELO DIAS ----- COSME SOUSA ---- APOIADORES ------- CONGREGAÇÃO FRANCISCANAS DE SIESSEN ----MACELO DIAS ---- COSME SOUSA ---- APOIADORES ------ CONGREGAÇÃO FRANCISCANAS DE SIESSEN ----- MACELO DIAS ----- COSME SOUSA ----- APOIADORES -----CONGREGAÇÃO FRANCISCANAS DE SIESSEN ----- MACELO DIAS ---- COSME SOUSA .

No dia Mundial da Água, brasileiros sofrem com falta do liquido precioso.

planeta terra água

Água é fonte da vida, uma necessidade de todos

Os seres vivos e um direito da pessoa humana.
Este artigo é uma reflexão sobre um tema amplamente discutido nesta última década e mais ainda nesses últimos meses.
Tema essencial para nossa vida: a água! Quem de nós não tem acompanhado os noticiários sobre a crise da água, as secas de rios e mananciais, o consumo exagerado desse bem, a necessidade de racionamento, rodízio, até mesmo de meios para punir o uso irresponsável, como, por exemplo, multa pelo seu desperdício, etc? 
Como cristãos devemos refletir e rever nossa postura em relação ao bem natural mais importante para nossa sobrevivência: a água. Alguém poderia perguntar: o que a Igreja tem a ver com essa questão?
A Igreja, enquanto sacramento de salvação, se destina à pessoa humana, que vive no mundo e que precisa dele, em sua realidade temporal e material. Isso mesmo, necessitamos de muitos recursos para viver. Portanto, como Igreja, precisamos enfrentar os desafios ambientais e sociais que a realidade nos apresenta e nos conscientizar sobre o uso da água para garantir que ela permaneça fonte de vida para todos. 
Já no ano de 2004, a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil, nos apresentava a Campanha da Fraternidade, sobre a água, cujo tema era: Fraternidade e Água, e o lema: “Água, fonte de vida”.
 Essa Campanha tinha como objetivo geral “conscientizar a sociedade que a água é fonte da vida, uma necessidade de todos os seres vivos e um direito da pessoa humana, e mobilizá-la para que este direito à água com qualidade seja efetivado para as gerações presentes e futuras”. (cf. Texto-Base, CF 2004)
Onze anos depois, o tema permanece tão oportuno para nossa reflexão, pois se constatarmos a realidade milhões de pessoas não dispõem de condições de vida digna pela falta desse recurso natural. Enfim, é urgente unirmos forças pela salvação desse recurso natural, ou seja, pela salvação da própria humanidade. A água é sagrada.
Já nos ensina as Sagradas Escrituras, no relato da Criação (cf. Gn 1 – 2), que o Espírito de Deus pairava sobre as águas e a partir daí a vida passou a existir. Bem sagrado que faz viver e que santifica. Na criação, Deus submeteu todas as suas criaturas ao cuidado da humanidade, que criada à sua imagem e semelhança é chamada a ser co-criadora, cuidando, utilizando, administrando corretamente os bens que Ele nos deu. 
Mas na prática, não é bem assim que funciona. O ser humano, movido pelos interesses gananciosos e egoístas, não tem feito bem à natureza. Basta olharmos a triste realidade de desmatamentos que prejudicam as fontes de água. Atualmente a escassez de água se deve também a essa triste realidade e isso atinge a todos, pobres e ricos.
 
A população brasileira desperdiça até 45% de sua água, segundo informa a Organização Mundial de Saúde (OMS).
O problema da escassez de água doce nos atinge diretamente, embora nosso país possua os biomas mais diversificados, com a riqueza e beleza da flora e da fauna. Mas aqui, além dos desmatamentos, da poluição, o grande vilão dessa crise é o desperdício. A população brasileira desperdiça até 45% de sua água, segundo informa a Organização Mundial de Saúde (OMS). Somos nós os principais protagonistas dessas tragédias naturais.
“A ONU já alertou: se não houver mudanças de hábitos no curto prazo, até 2030 quase metade da população global terá problemas de abastecimento - sem contar as 768 milhões de pessoas que já não possuem acesso à água potável e podem ficar em situação ainda mais complicada.”
Devemos refletir seriamente, seres humanos e cristãos que somos sobre a urgência de nossa conversão em relação ao uso da água. Mudar a mentalidade e o nosso estilo de vida, partindo do princípio de corresponsabilidade no uso dos bens naturais, no uso da água. Embora seja muito importante, não basta somente rezar pedindo chuva.
É hora de sermos protagonistas de uma sociedade transformadora, empenhar nossos esforços na construção de um mundo mais justo e fraterno, de uma sociedade que se preocupa com o futuro da humanidade e do planeta e que torna realidade o sonho de Deus que tudo criou por amor, para a felicidade e para a vida. 
O que você tem feito para colaborar no uso consciente e responsável da água? Há muitas possibilidades de contribuir, começando em casa. 
Veja essas dicas:
Dicas de Economia da Água 
Verifique vazamentos em canos e não deixe torneiras pingando. Um gotejamento simples, pode gastar cerca de 45 litros de água por dia.
Deixe pratos e talheres de molho antes de lavá-los.
Aproveite a água da chuva para aguar as plantas e o jardim. As plantas absorvem mais água em horários quentes, então molhe-as de manhã cedo ou no fim do dia.
Feche a torneira quando estiver escovando os dentes ou fazendo a barba. Só abra quando for usar. Uma torneira aberta por 5 minutos desperdiça 80 litros de água.
Em vez da mangueira, use vassoura e balde para lavar pátios e quintais. Uma mangueira aberta por 30 minutos libera cerca de 560 litros de água.
Reaproveite a água da sua máquina de lavar para lavar a calçada.Saber ler o hidrômetro é muito simples e pode ajudar a detectar problemas como vazamentos, percebidos pelo consumo fora do normal.
Não tome banhos demorados, 5 minutos são suficientes. Uma ducha durante 15 minutos consome 135 litros de água.
Antes de lavar pratos e panelas, limpe os restos de comida com uma escova ou esponja e jogue no lixo.

Fonte: CNBB


[ CLIQUE AQUI PARA COMPARTILHAR NO WHATSAPP ]

Sobre Acesso Cristão Diocese de Coroatá

PORTAL DE NOTÍCIAS CATÓLICA DO MARANHÃO ""
SEJA NOSSO PARCEIRO E COLABORE PATROCINANDO ESTE SITE SUA MARCA EVANGELIZANDO COM AGENTE - WHTS 98I089864