-
-

PALAVRA DO PASTOR DA DIOCESE DE COROATÁ - MÊS DE JULHO.

“Ide e fazei discípulos entre todas as nações” (Mt. 28,19)

O Brasil todo, neste mês, estará voltado para o Rio de Janeiro, em vista da realização da Jornada Mundial da Juventude e a vinda do Papa Francisco, em sua primeira viagem internacional. Da Diocese de Coroatá, participarão aproximadamente 200 pessoas, entre adultos e jovens. Acolheremos na semana que antecede... a jornada, 82 alemães, das dioceses de Munique e Bambergue que virão conviver conosco estes dias.
Em Nina Rodrigues, acontecerá a grande semana, das Santas Missões Populares, e em cada paróquia da diocese, esperamos de realizar a Semana Missionária, tentando estender até nós, a experiência da alegria e esperança da Jornada.

“Ide e fazei discípulos entre todas as nações” (Mt. 28,19)

Duas idéias marcantes brotam desta frase: a do discípulo e do missionário. Estas são, as duas faces da mesma medalha. Antes do “ir e fazer discípulo” é preciso nos tornar discípulo de Jesus. O fato de termos sido batizados, ou de exercermos um ministério importante na comunidade, não nos deve dar como pressuposto este discipulado. É preciso recordar sempre: “È pelos frutos que conhecemos a árvore”. O “contra testemunho dos cristãos é que me afasta de Cristo” dizia Gandi, um grande sábio hindu.
Ser missionário significa ouvir sem cessar o seu convite a seguí-lo, o convite a fixar n´Ele o olhar: “Aprendei de mim que sou manso e humilde coração’ Mt. 11,29. O compromisso missionário é uma dimensão essencial de nossa fé. Não se crê verdadeiramente, se não evangeliza. E o anúncio do evangelho não pode ser senão uma conseqüência da alegria de ter encontrado Jesus e de ter descoberto n´Ele a rocha sobre a qual queremos construir nossa existência.

“Ide e fazei discípulos entre todas as nações” (Mt. 28,19)

A juventude sempre será um campo de missão, e os jovens são chamados a ser os principais protagonistas desta missão. Missão é agir onde a vida está sendo ameaçada. Segundo os dados de uma pesquisa, em 2011, no Brasil, na população não jovem, 2% das mortes são por homicídios.Entre os jovens, este percentual é de 40%. O aumento do crescimento do uso da droga revela um vazio existencial muito grande nesta geração que convivemos, agravando ainda naquele grupo, nem e nem, nem estuda e nem trabalha.
È agora uma grande ocasião para nós escutarmos os jovens, irmos ao seu encontro, para percebermos as suas necessidades e apresentar-lhes o mais possível verdadeiro rosto de Cristo e a importância de ser membro atuante de uma Igreja que fez a opção pelos pobres e jovens. Priorizemos este tempo para dedicar-nos a eles, oferecendo nosso tempo, nossos espaços, nosso saber e nosso serviço á nova geração que precisa ser defendida e orientada para um realizador sentido da vida.

Como dizia D. Bosco, “os jovens são bons psicólogos”, eles percebem logo, quem os ama, ou quem apenas os instrumentaliza. Não há tempo a perder. Esta é uma grande oportunidade para fazer algo de novo com os jovens, para os jovens e pelos jovens.
Um grande abraço do seu amigo bispo,
Dom Sebastião Bandeira
[ CLIQUE AQUI PARA COMPARTILHAR NO WHATSAPP ]

Sobre Acesso Cristão

PORTAL DE NOTÍCIAS CATÓLICA DO MARANHÃO ""
Comentários

0 comentários :

SEJA NOSSO PARCEIRO E COLABORE PATROCINANDO ESTE SITE SUA MARCA EVANGELIZANDO COM AGENTE - WHTS 98I089864